Carol La Lach
Fotofrafia

Informes das Abelhas 

  • Abelhas da Colmeia

Jardinagem e Mulheres em tempos de isolamento social

Updated: Jun 10, 2020



Quem pode ficar em casa durante a pandemia viu a rotina mudar completamente, cada um precisou se adaptar de formas diferentes pra tentar encaixar um pouco as atividades antes desenvolvidas.


Sou artesã e trabalho com plantas desidratadas para criar biojóias carregadas de vida. Antes da pandemia morava com minha mãe, uma apaixonada por cuidar de plantas e que me proporcionava um jardim cheio de afeto para minhas coletas. Mas desde então, saí da casa dos meus pais e fui morar em um apartamento, e não mais pude ir visita-los e coletar materiais botânicos.


Das tantas coisas que sinto falta, destaco a saudade da mata e do verde. Ficar trancada em um apartamento tem afetado meu humor, assim como o de muita gente. Nunca fui boa cuidadora de plantas, minha cabeça avoada não me deixava lembrar dos cuidados básicos da rega. Mas dentre as tantas coisas que me pressionei não saudavelmente a desenvolver nesses tempos em casa, tem uma importante que tenho desenvolvido e que tem acalmado meus dias: cuidar de plantas. Ter tanto tempo em casa direcionou meu foco a cultivar meu próprio verde, e tenho me sentido abraçada por aquilo que Clarissa Pinkola descreve em As Mulheres que Correm com os Lobos:


“Às vezes, com o objetivo de aproximar uma mulher da natureza da vida-morte-vida, eu lhe peço que cuide de um jardim. Seja ele psíquico, seja ele de lama, estrume e verdura, bem como de todas as coisas que cercam, ajudam e atacam. Que ele representa a psique selvagem. O jardim é um vínculo concreto com a vida e a morte. Seria mesmo possível dizer que existe uma religião dos jardins, pois eles nos ensinam profundas lições espirituais e psicológicas. Qualquer coisa que possa acontecer a um jardim pode acontecer à alma e à psique — excesso de água, falta de água, pragas, calor, tempestades, enchentes, invasões, milagres, ressecamento, reverdecimento, bênçãos, cura. [...] No jardim, adquirimos prática para deixar que pensamentos, idéias, preferências, desejos e até mesmo amores vivam e morram. Plantamos, arrancamos, enterramos. Secamos sementes, fazemos a semeadura, protegemos as plantinhas. O jardim é uma prática de meditação, a de dizer a hora de alguma coisa morrer. No jardim, podemos ver chegar a hora de desfrutar e a hora da regressão. No jardim, estamos nos movendo de acordo com a inspiração e a expiração da grande natureza selvagem, não contra ela.”


Por isso, o que quero compartilhar aqui é essa mensagem, se você ainda não cuida de plantas, pode ser uma atividade que traz um pouquinho de leveza pra esses dias – é o que tem funcionado pra mim. Não falo nisso como mais uma atividade pra fazer crescer a lista de planos pra esses tempos difíceis numa corrida pela produtividade, esse não é o objetivo. Isso é o que menos precisamos no momento, façam o que fizer bem pra vocês. <3


Pra finalizar, quero deixar aqui uma sugestão de cinco plantas fáceis de cuidar que funcionam muito bem dentro de casa, ou seja, que desenvolvem saudavelmente em ambientes de sombra. Mas lembrem-se que sombra na floresta não é breu! Plantas de sombra não gostam de sol direto, mas sim de ambientes bem iluminados com luz difusa, como a que vem das janelas.

  1. Peperômia melancia (Peperomia argyreia): tem sido o meu xodó! Gosta de solo sempre úmido e é a coisa mais linda pra se ficar olhando <3

  2. Samambaia: Essa é pra você lembrar da casa dos avós. As samambaias também gostam de bastante de umidade e de cálcio, então você pode adicionar cascas de ovos trituradas ao solo pra deixá-las mais feliz.

  3. Espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata ou Sansevieria zeylanica): Você sabia que essa tradicional planta de casas brasileiras é considerada pela NASA como uma das mais recomendadas para purificar o ar de um ambiente? É super fácil de cuidar e muito resistente, não precisa de muita água.

  4. Jibóia (Epipremnum pinnatum): é uma trepadeira que vai bem tanto em sombra - conforme essa listinha - ficando com as folhagens menores, quanto em sol pleno, mas nesse caso as folhas ficam gigantes e nem se parecem a mesma planta! A jibóia gosta de água e calor.

  5. Marantas: As marantas são um grupo diverso de plantas com as folhagens mais maravilhosas! Gostam de solo úmido e calor.


Muitas dessas plantas são fáceis de encontrar até pelas ruas, onde você pode coletar mudas. Pra preparar essa listinha pesquisei principalmente o blog Minhas Plantas. Pra aprender mais sobre como cuidar das plantas, recomendo o mesmo canal no youtube, assim como tantos outros. Um Botânico no Apartamento tem me ensinado muito!



Por Vanessa Miguel, da Relicário Vida

33 views1 comment

Recent Posts

See All