Carol La Lach
Fotofrafia

Informes das Abelhas 

  • Abelhas da Colmeia

Precisamos falar sobre o abuso e exploração infantil - principalmente em tempos de isolamento social

Updated: May 31, 2020



O documentário "Um Crime Entre Nós", produzido e idealizado pela Maria Farinha Filmes, Instituto Liberta e Instituto Alana, com direção de Adriana Yañez lançado no dia 18 de maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de crianças e adolescentes - propõe uma mudança de atitude na sociedade frente à violência sexual infantil, tema de extrema urgência e ainda tratado como tabu.

Trailer oficial: link aqui.


De acordo com levantamento do Instituto Liberta, a partir de estudos de organizações da sociedade civil e dados governamentais, estima-se que em nosso país a exploração sexual afete 500 mil crianças e adolescentes por ano. Infelizmente o Brasil ocupa o segundo lugar entre os países com maiores índices, atrás apenas da Tailândia, no Sudeste Asiático, segundo a The Freedom Fund. Se você se impressionou com esse número saiba que ele é extremamente subnotificado. Para a Childhood Brasil apenas 10% dos casos são comunicados às autoridades. Se considerarmos o número oficial significa que em média ocorram mais de mil casos por dia !! Chocante, não?


De acordo com relatos de profissionais da rede de proteção, o risco aumenta ainda mais em tempos de isolamento social. Diante da falta de dados oficiais, o crescimento dos casos de violência doméstica servem de termômetro do risco que principalmente as garotas e as mulheres estão correndo, principalmente na própria casa. Isso porque, conforme estudos da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH), no Brasil, 80% dos crimes ocorrem em ambiente familiar. Na grande maioria dos casos o abuso é cometido por pessoas próximas e por quem a criança tem afeto. Entenderam porque o isolamento social agrava ainda mais a situação? Precisamos falar sobre isso não só no mês de maio, mas sempre, durante todo o ano! Precisamos divulgar os canais de denuncia e campanhas sobre! Precisamos buscar meios de falar com as nossas crianças sobre os cuidados com o corpo, sobre limites, sobre não permitir toques, sobre respeito; sobre o que é carinho e o que não é.... Dar voz às nossas crianças e adolescentes para que se fortaleçam e não se calem. Mais do que nunca precisamos de educação, de estarmos atentos aos sinais e de muito, muito diálogo.


Como denunciar:

Disque 100 Disque 180

Aplicativo Proteja Brasil

Aplicativo Direitos Humanos BR


Como assitir ao filme "Um crime entre nós":

Plataformas para assistir ao filme a partir do dia 19: GNT Play e Videocamp. Plataformas para assistir ao filme a partir de junho: GNT Play, Videocamp, Canal Brasil e Philos.



Confira algumas dicas de leitura infantil para ensinar as crianças sobre consentimento


PIPO E FIFI











"Pipo e Fifi - ensinando proteção contra violência sexual" é uma ferramenta de proteção, que explica às crianças a partir de 4 anos conceitos básicos sobre o corpo, sentimentos e emoções. De forma simples e descomplicada, ensina a diferenciar toques de amor de toques abusivos, apontando caminhos para o diálogo, proteção e ajuda. O livro apresenta também atividades interativas, para desenvolver conceitos e promover a reflexão. Sabe-se que a informação é a forma mais eficaz de prevenção da violência sexual infantil, diminuindo a vulnerabilidade das crianças. Crianças bem informadas crescem mais seguras e felizes e estarão preparadas para os desafios da atualidade, em que ferramentas como a TV e a internet fazem parte do seu cotidiano.



NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA!












Ritoca tem uma história para contar, meio difícil de entender, muito difícil de falar. O encontro com um tio gentil e sorridente acaba se tornando um pesadelo, do qual Ritoca e seus amigos conseguem escapar. “Se for de um jeito suspeito, ninguém deve tocar na gente!”, ela logo reconhece. De maneira lúdica, o livro Não me toca, seu boboca! mostra a todas as crianças o que é a situação de violência sexual e o que fazer para evitá-la. Uma forma de oferecer segurança e informação às crianças sem perder o encantamento próprio da literatura. Um livro necessário, escrito cuidadosamente por Andrea Taubman e ilustrado pela talentosa Thais Linhares.



MEU CORPO, MEU CORPINHO!











Um livro alegre, bonito e divertido para tratar de assuntos de extrema relevância: integridade física, privacidade e proteção. Palavras envolventes e ilustrações delicadas irão auxiliar famílias a abordarem, de maneira lúdica e divertida, conceitos fundamentais para o entendimento da criança, como partes íntimas, o poder de dizer não e a importância do diálogo aberto com um adulto de confiança. Em um mundo onde o abuso sexual infantil é um perigo real e, na maioria das vezes, próximo e discreto, cabe a nós, pais e cuidadores, proteger e educar nossas crianças para que elas possam crescer felizes, inocentes e livres, porém seguras e fora das estatísticas.


O SEGREDO DE TARTANINA











Com abordagem lúdica, interativa e de fácil compreensão, a narrativa conta as histórias de Tartanina, uma pequena tartaruga vítima de violência. Uma analogia que trabalha com sutileza a vulnerabilidade infantil com o objetivo de propor uma conversa franca e elucidativa sobre este tema.

Os livros são recomendados para uso em instituições públicas e privadas, por meio de assistência especializada ou voluntária. Podem ser usados por pais, responsáveis, educadores, assistentes sociais ou terapeutas que desejam auxiliar, diagnosticar suspeitas ou desenvolver um trabalho preventivo contra esse tipo de violência, que é uma das piores agressões praticadas contra a criança.



A MÃO BOA E A MÃO BOBA











"A mão boa e a mão boba" é um livro importante que mostra como as diferenças entre uma mão amiga e uma mão abusadora são sutis. E já que a pedofilia é considerada uma condição psicológica praticamente sem cura, orientar as crianças se torna o método mais eficaz de evitar que o abuso sexual infantil continue acontecendo com tamanha naturalidade. A intenção do livro é facilitar o trabalho sobre o tema da pedofilia com escolas, mães, pais e filhos, levando uma linguagem simples e poética para ajudar na prevenção.


Por Francine Machado, do empreendimento materno Feijão com Arroz


Fontes:

https://www.childhood.org.br/ https://www.chegadetrabalhoinfantil.org.br/





13 views1 comment

Recent Posts

See All

©2018-2021 Coletivo Colmeia de mulheres
 

  • Facebook
  • Instagram